« Home | Anal Stories » | » | O Triste Fim da Era Orkut » | Au, au, ipi-iou ipi-iei » | Esse clipe do Herbie Hancock é uma zuerinha muito ... » | Go, Go, Gooo!!! » | O que deu de errado com as pombas? » | Saiu no Estadão ----------------- Guaxinins assass... » | Li no Estadão hoje que fiscais do Ministério do Tr... » | Bolshoi Pós-Moderno »

Me desculpem o moralismo...

Quando um imbecil se reúne com seus colegas de ofício, não tarda para que o ambiente vire uma grande caldeira que exala ignorância. Fico abismado com o nível de babaquice que sou obrigado a presenciar pelas ruas cinzentas. Hoje mesmo, na ocasião de um almoço descompromissado, regado a bife cru e ovo pastoso, tive a recorrente sensação de estar vivenciando essa mesma situação cíclica uma vez mais. Um grupinho de imbecis coletivos sentado logo a minha frente, pôs-se a tagarelar sobre os mais variados assuntos, desde a quantidade "picxis" (sim, ele falou "picxis") da máquina fotográfica que um dos mancebos ignaros acabara de adquirir, até...política! Sim, a tão acalorada política de boteco não tardou em dar o ar de suas graças cambaleantes. E eis que a conversa torta chega no tema "Collor". Não era de se admirar que os convivas destilariam críticas mordazes ao tacanho "Fernandinho pó". Fiquei de orelha em pé apenas quando um dos sujeitos insistiu cuspindo arroz pelas beiradas: "mas o Collor foi muito importante pra nossa história...". "Opa", pensei, "vamos ver se ele ressalta a conscientização em massa representada pelos comícios dos caras-pintadas, assim como o posterior impeachment do caçador de marajás". "Mas o Collor foi muito importante pra nossa história porque ele que começou tudo isso, toda essa modernização, sabe. Se não fosse por ele agente ainda ia tava andando de charrete". Triste, não, caro perobo? Resumindo, para o nosso amigo assim como para tantos outros brasileiros, pouco importa que a sacanagem role solta lá nos estábulos de mármore do Planalto Central, contanto que ele possa comer o seu ovo pastoso e andar em uma charrete moderna. No fim, o que se deseja são privilégios, não direitos. E enquanto isso o Brasil continua dando o cu e chupando rola.

boa!

Você é um arrogante de merda...

e eu gosto.

Ah esse mau humor! Você não sabe o quanto é gostoso e engraçado ouvir e ver esse mau humor...

Mas, ante de mais nada, são "pixels" Yuri.

Cara desconhecida Nathália, em primeiro lugar eu não sou mau-humorado. Em segundo lugar, eu sei que são "pixels", no entanto, nosso amigo que deu origem a esse texto não sabia e falou "picxis".

Postar um comentário