« Home | O que deu de errado com as pombas? » | Saiu no Estadão ----------------- Guaxinins assass... » | Li no Estadão hoje que fiscais do Ministério do Tr... » | Bolshoi Pós-Moderno » | Da série de coisas a serem odiadas » | Jala, Jala! » | Manchetes do Dia » | Juiz faz pacto com duendes e é afastado do cargo » | Não urine no chão! » | Obituário »

Go, Go, Gooo!!!

Ah, o doce período da infância. Ventos pueris que já não sopram mais. Época em que passar uma tarde descompromissada na frente do viedeogame investindo na porradaria, regado a pacotes e mais pacotes de traquinas (sabor morango, por favor) era o ideal de qualquer garoto sensato.



"Streets of rage", um clássico. O momento supremo do deleite orgasmático desse jogo é arremessar os adversários do elevador, na penúltima fase. Reza a lenda que muitos mancebos tiveram suas respectivas primeiras poluções dessa maneira.



Ah, "Pit Fighter"...mais um ícone absoluto das insólitas tardes de dedilhados frenéticos. Esse jogo marcou época, sem dúvida. Reza a lenda que foi o primeiro jogo a usar a imagem digitalizada de atores reais, fato que revolucionou os gráficos da época. O ponto alto do jogo era enfrentar o "Cuecão", um pirulão desengonçado de mais de 2m de altura que desfilava pelo ring com uma exótica cuequinha samba-canção e um óculos-escuro estilo Venice Beach, bem anos 90.



Bem, o "Street Fighter" nunca me chamou muito a atenção, embora seja um clássico também. Sempre achei o Ryu e Ken meio boiolas, e tenho certeza que eles davam uma bimbadinha nos bastidores dos cenários toscos de 16 bits antes de entrar em cena. A minha obstinação nesse jogo era ver a calcinha da Chun-li, nada mais.



Bom, por hoje é só crianças.